Efêmera Primavera, ou Picanha Invertida, acompanhada de Risoto de Shitake com Brócolis, Fios de Abóbora e Salada Verde


"A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.

Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da terra, nesse mundo confidencial das raízes, — e arautos sutis acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espírito das flores.

Há bosques de rododendros que eram verdes e já estão todos cor-de-rosa, como os palácios de Jeipur. Vozes novas de passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua nação. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos ares, — e certamente conversam: mas tão baixinho que não se entende.

Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.

Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as árvores cobertas de folhas, — e só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz.
Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.
Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora se entendeu e amou.
Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.
Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efêmera." - Cecília Meireles


Ontem desci na estação primavera. Choveu e faz frio. Bartolomeu disse que o melhor do inverno é a proximidade da primavera. A primavera lavou a rua e o rio... lavou o ar e a poeira do inverno.

Convidei a primavera para o almoço de domingo... Efêmera Primavera, ou, Picanha Invertida recheada com Gorgonzola e Ervas acompanhada de Fios de Abóbora, Risoto de Shitake com Brócolis enfeitado com Flor de Alho Assado e Capuchinha e Salada Verde.


Picanha Invertida recheada com Gorgonzola e Ervas

Escolha uma peça de Picanha de aproximadamente um quilo e duzentos com pouca capa de gordura. Cento e cinquenta gramas de Queijo Gorgonzola, Pimenta do Reino moída na hora a gosto, Flor de Sal a gosto, Tomilho fresco a gosto, Coentro fresco a gosto, Azeite e Farinha de Trigo.

Entre com a faca por dentro da picanha deixando uma fenda que chega até a beira de suas paredes, mas sem romper nas laterais. Passe azeite em todo o exterior, deixando-a bem lambuzada. Enfie uma mão pelo interior da picanha e com a ajuda da outra, vai virando a picanha pelo avesso, devagar, com cuidado e carinho para não romper as laterais.

Salpique um pouco de flor da sal sobre a gordura pela parte de dentro da picanha, e recheie com o queijo gorgonzola cortado em fatias pequenas e finas e as ervas picadas - coentro e tomilho. Costure a fenda com um barbante ou linha.

Do lado de fora, salpique pimenta do reino e deixe descansar até o momento de levá-la ao forno.

Esfregue a flor de sal em toda a picanha. Coloque a farinha de trigo em um pirex e passe a picanha. Os dois lados. Enrole-a no papel alumínio e leve-a ao forno (220° - 180°) já quente. Deixe assar por 1 hora, virando-a após 30 minutos.

Retire o papel alumínio e leve ao forno por mais 30 minutos, para terminar de assar e dourar. Vire a picanha na metade do tempo para dourar todos os lados e chegar no ponto desejado.


Fios de Abóbora

Uma Abóbora, Azeite a gosto, Pimenta do Reino a gosto e Flor de Sal a gosto.

Corte a abóbora ao meio e com a ajuda de uma colher, retire as sementes. Pincele azeite por todo o interior da abóbora e tempere com a flor de sal e a pimenta do reino. Leve ao forno (180°) já aquecido, por 30 minutos. Retire do forno e raspe o interior da abóbora com um garfo.

Arrume em um pirex os Fios de Abóbora e por cima, a Picanha Invertida recheada com Gorgonzola e Ervas. Sirva quente.


Risoto de Shitake com Brócolis enfeitado com Flor de Alho Assado e Capuchinha

Duas xícaras de Arroz Arbóreo, vinte gramas de Cogumelo Shitake Seco, duas colheres de sopa de Manteiga Sem Sal, uma Cebola pequena picada, meia xícara de chá de Cerveja Preta (usei Confraria, da Bohemia), cinquenta gramas de Queijo Parmesão Ralado, Flor de Sal a gosto, Pimenta do Reino a gosto,  cinquenta gramas de Bacon cortado em pedaços pequenos e um maço de Brócolis.

Comece por lavar e picar o shitake e deixá-los de molho por 30 minutos na cerveja preta. Depois, escorra e reserve o líquido.

Aqueça metade da manteiga em uma panela e doure o bacon. Retire-o e reserve. Descarte um pouco da gordura e refogue a cebola, deixando ficar transparente. Junte o arroz e misture para incorporar bem a manteiga. Acrescente o shitake e misture. Refogue por mais um minuto. Acrescente o bacon e o brócolis. Adicione a pimenta do reino, misture e refogue por mais 1 minuto.

Regue coma cerveja preta que hidratou o shitake, misture bem e deixe absorver. Acrescente água quente até cobrir o arroz e adicione a flor de sal. Misture e deixe cozinhar, misturando de vez em quando. Adicione mais água se for necessário, até o arroz ficar ao dente.

Apague o fogo e misture o parmesão e a manteiga restante. Misture bem e deixe descansar com a panela fechada por 5 minutos antes de servir.


Tire uma fatia da cabeça de alho, cortando entre os dentes. Pincele com azeite e coloque em uma assadeira com o corte para cima e asse-o em temperatura à 180° por 50 minutos.
"Assar suaviza e adocica o gosto do alho para que possa ser usado como um delicioso acompanhamento, ou tempero. Asse a cabeça com casca ao mesmo tempo em que assa a carne. Se a cabeça de alho for cortada decorativamente (forma de flor), fará uma bonita guarnição." - Le Cordon Bleu
Em uma vasilha, arrume o Risoto de Shitake com Brócolis, coloque a Flor de Alho Assado no meio e nas laterais, as Capuchinhas. Sirva quente.


Salada Verde

Folhas de Alface Romana, Rúcula e Radiche, Mel a gosto, Canela a gosto e Azeite.

Depois de higienizadas, pique as folhas com a mão e misture-as. Em uma saladeira, salpique canela na borda e arrume as folhas picadas no meio. Adicione o mel e o azeite. Enfeite com Capuchinhas.









"Quando não te doeu acostumar-te a mim,
à minha alma solitária e selvagem,
a meu nome que todo afugentam.
Tantas vezes vimos arder o luzeiro
nos beijando os olhos e sobre nossas cabeças
destorcer-se os crepúsculos em girantes abanos.
Sobre ti minhas palavras choveram carícias.
Desde faz tempo amei teu corpo de nácar ensolarado.
Chego a te crer a dona do universo.
Te trarei das montanhas flores alegres,
copihues, avelãs escuras, e cestas silvestres de beijos.
Quero fazer contigo o que a primavera faz com as cerejas."

Pablo Neruda


Comentários

Postagens mais visitadas