Lua Solar - Sol Lunar ou Massa Gratinada ao Molho Bechamel com Presunto, Champignon e Queijo



O domingo desce como se chorasse. A chuva fina deixa a paisagem molhada, mas não faz frio. "Depois que tudo é dito e feito eu me sinto o mesmo e tudo o que esperava mudar em mim ficou. Como um exilado enrolado numa praia, iluminado pela lua, aquecendo suas mãos, mil anos atrás".
"O correr da vida embrulha tudo.
A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem." (Guimarães Rosa)
"Em escassez ou em excesso, ambos o escravo e a Imperatriz voltarão a terra, eu acho, nus como quando vieram".


O prato de hoje foi fácil, bom para um domingo chuvoso, que te convida para uma viagem, seja pelas linhas do livro que estejas lendo, seja pelas linhas do livro que escreve em sua pele a cada dia, mas qual seja, acompanhado de um vinho.


Usei a massa Gravata, um pacote. Para o Bechamel, quatro colheres de sopa de Manteiga, duas colheres de sopa de Farinha de Trigo peneirada, dois dentes de Alho, uma Cebola pequena cortada em rodelas, duas folhas de Louro, Pimenta do Reino a gosto, Noz Moscada em pó a gosto, um litro de Leite e Flor de Sal a gosto. Para o tempero, usei cento e cinquenta gramas de Presunto cortado e cubos pequenos, cinquenta gramas de Bacon cortado em pedaços bem pequenos, setenta e cinco gramas de Champignon, cento e cinquenta gramas de Queijo Tipo Emmental cortado  em cubos pequenos, cento e cinquenta gramas de Queijo Tipo Parmesão ralado e Pimenta do Reino a gosto.

Comecei por preparar o leite para o Molho Bechamel, colocando-o em uma panela e adicionando o alho, as folhas de louro, a cebola, a noz moscada e pimenta do reino e deixei levantar fervura, mexendo de vez enquando para não derramar. Após ferver, deixei por mais um minuto em fogo baixo, mexendo. Deixei esfriar por dez minutos.

Enquanto o leite fervia, fui preparando os demais ingredientes e coloquei água em uma panela para ferver e fazer a massa.

Quando a água para a massa ferveu, acrescentei o sal a gosto e coloquei a massa, mexendo de vez enquando. Deixei cozinhando por quatorze minutos e depois escorri a massa, usando água quente para lavá-la. Reservei.

Após os dez minutos, derramei o leite em outra panela, coando-o para retirar os temperos.

Em uma panela, derreti a manteiga e acrescentei a farinha de trigo, mexendo sempre com a colher de arames para não empelotar, até formar uma espuma branca. Retirei a panela do fogo e coloquei sobre o mármore da pia molhada. Fui acrescentando o leite já preparado aos poucos, mas sempre mexendo com a colher de arame para não empelotar e conseguir incorporar tudo em um creme leve. Levei novamente a panela ao fogo baixo e deixei cozinhado até formar um creme.

Enquanto isso, em outra panela, derreti um pouco de manteira e adicionei os pedaços de bacon. Quando ficaram dourados, acrescentei o champignon e o presunto, mexendo para refogar.

Acrescentei os queijos no molho bechamel, já cremoso e mexi. Adicionei o refogado do bacon, presunto e champignon e mexi. Desliguei o fogo. Acertei o sal.

Em um pirex, derramei o molho no fundo e coloquei a massa. Derramei o molho sobre a massa e mexi para incorporar o molho. Salpiquei mussarela ralada e queijo parmesão ralado e levei ao forno pré-aquecido em temperatura alta por dez minutos, apenas para gratinar. Servi quente.







Azuis Desamparados
(Fleet Fox)

Fui criado acreditando
Eu era de alguma forma único
Como um floco de neve distinto entre flocos de neve
Único de cada jeito que você pode ver

E agora, depois de algumas reflexões
Eu diria que prefiro ser
Um engrenagem funcionando em algumas máquinas grandes
Servindo alguma coisa além de mim

Mas eu não posso não sei o que será
Eu vou voltar para você um dia
Logo você vai ver

Qual é o meu nome, qual é a minha estação
Oh diga-me o que devo fazer
Eu não preciso ser gentil com os exércitos da noite
Que faria tal injustiça com você.
Ou curvar-se e ser grato
E dizer "claro, leve tudo o que você vê"
Para os homens que se deslocam apenas em salas vazias
E determinar o meu futuro para mim.

E eu não eu não sei em quem acreditar
Eu vou voltar para você um dia
Logo você vai ver.

Se eu sei apenas uma coisa
É que tudo que eu vejo
Do mundo exterior é tão inconcebível
Muitas vezes eu mal posso falar

Sim, eu estou com a língua enrolada e tonto
E eu não posso conter para mim mesmo
De que bom é cantar Blues desamparo?
Por que eu deveria esperar por alguém?

E eu sei eu sei que você me manteria na prateleira
Eu vou voltar para você um dia
Logo a mim mesmo.

Se eu tivesse um pomar
Eu trabalharia até eu me esgotar
Se eu tivesse um pomar
Eu trabalharia até que me ferisse

E você iria esperar mesas
E logo dirigir a loja

Cabelos dourados à luz do sol
Minha luz no amanhecer
Se eu tivesse um pomar
Eu trabalharia até que me ferisse

Se eu tivesse um pomar,
Eu trabalharia até que me ferisse

(Vocal)

Algum dia eu vou estar
Como o homem na tela

Comentários

Postagens mais visitadas