Cannelloni à la ricotta assaisonné avec des épinards, ou... para os fortes


"Yo soy como el chile verde,
Llorona, Picante pero sabroso.
Yo soy como el chile verde,
Llorona, Picante pero sabroso"

A receita ficou realmente picante, mas saborosa. Utilizei no recheio do Canelloni, apenas Ricota Temperada. E está, estava bastante apimentada.


I

Para apalpar as intimidades do mundo é preciso
saber:

a) Que o esplendor da manhã não se abre com faca

b) O modo como as violetas preparam o dia para
morrer

c) Por que é que as borboletas de tarjas vermelhas
têm devoção por túmulos

d) Se o homem que toca de tarde sua existência num
fagote, tem salvação

e) Que um rio que flui entre dois jacintos carrega
mais ternura que um rio que flui entre dois
lagartos

f) Como pegar na voz de um peixe


g) Qual o lado da noite que umedece primeiro.

Manoel de Barros
Uma Didática da Invenção


Usei massa de Canelloni semi pronta, bastando apenas preparar o recheio, o molho e levar ao forno. Nessa receita, não vou especificar quantidades, pois fiz no impulso, para um almoço com meu filho.

Para o recheio, misturei folhas de Espinafre trituradas no processador com a Ricota temperada. Adicionei um pouco de Mussarela ralada e Creme de Leite para dar quase a consistência de uma pasta.

Coloquei o recheio dentro da massa do Canelloni e reservei em um pirex.




Para o molho, preparei um Bechamel com Champignon e Tomate Cereja. Derramei sobre o Canelloni já recheado, polvilhei Mussarela ralada e Queijo Parmesão ralado.

Levei ao forno em temperatura à 200º por 30 minutos. Aumentei a temperatura do forno para dar uma leve dourada. Decorei com Capuchinhas e servi.



A receita ficou realmente muito picante, por isso recomento apenas aos fortes. Para atenuar, utilize Ricota normal e apenas um pouco da Ricota temperada.


IV

No Tratado das Grandezas do Ínfimo estava escrito:
Poesia é quando a tarde está competente para dálias.
É quando
Ao lado de um pardal o dia dorme antes.
Quando o homem faz sua primeira lagartixa.
É quando um trevo assume a noite
E um sapo engole as auroras.

XIII

As coisas não querem mais ser vistas por pessoas
razoáveis:
Elas desejam ser olhadas de azul –
Que nem uma criança que você olha de ave.

XIV

Poesia é voar fora da asa.

XV

Aos blocos semânticos dar equilíbrio. Onde o
abstrato entre, amarre com arame. Ao lado de um
primal deixe um termo erudito. Aplique na aridez
intumescências. Encoste um cago ao sublime. E no
solene um pênis sujo.


Manoel de Barros
Uma Didática da Invenção



Comentários

Postagens mais visitadas