Risoto de Funghi... ou, sou livre dentro dos seres

Faz mais de dois anos da última publicação no blog. Como de outras vezes, a ausência não tem motivos sabidos, apenas não estava. Mas agora volto, volto terra, livre dentro dos seres. Porque é assim, sair e chegar quando quiser e der vontade.

Volto terra, com poesia terra, com receita terra, com aroma terra...


Por fim, sou livre dentro dos seres.

Entre os seres, como o ar vivo,
e da solidão acurralada
saio para a multidão dos combates,
livre porque em minha mão vai a tua mão,
conquistando alegrias indomáveis.

Pablo Neruda - Canto Geral


Já tenho no blog outras receitas de Risoto de Funghi. Mas cada uma é diferente, seja por um detalhe ou pelo momento em que preparo.

O Risoto foi acompanhado de Batata Gratinada e Salada de Alface e Rúcula com Molho de Mostarda. O alface e a rúcula eu colhi em minha pequena horta, assim como as ervas e a couve que acrescentei no caldo de legume que preparei para a receita.

Para o Risoto de Fungui, usei duas xícaras de Arroz Arbóreo, cem gramas de Funghi Seco, dois dentes de Alho, Caldo de Legume, Vinho Branco, Pimenta do Reino, Flor de Sal, Azeite, duas colheres de sopa de Manteiga, uma colher de sopa de Queijo Parmesão ralado e uma colher de sopa de Creme de Leite Fresco.

América
não
invoco
o teu
nome
em vão.

Quando sujeito ao coração a espada,
quando aguento na alma a goteira,
quando pelas janelas
um novo dia teu me penetra,
sou e estou na luz que me produz,
vivo na sombra que me determina,
durmo e desperto em tua essencial aurora:
doce como as uvas, e terrível,
condutor do açúcar e o castigo,
empapado em esperma de tua espécie,
amamentado em sangue de tua herança.

Pablo Neruda - Canto Geral

Coloquei o funghi seco picado em pedaços pequenos, para hidratar em água fervendo por meia hora. O aroma que exala é terra, é delicioso. Em seguida, preparei o caldo de legumes.


(Caldo de Legumes: uma Cenoura grande cortada em rodelas, uma Cebola média cortada em pedaços grandes, três folhas de Couve, um talo de Alho Poró cortado em rodelas, Alecrim, Salsinha, Cebolinha, Coentro, Orégano e Pimenta. Coloquei tudo em uma panela grande cheia de água com um pouco de sal e deixei ferver por 45 min. Depois de fervido, coe e reserve o líquido).


Depois de hidratado, separei o funghi, espremendo na vasilha para tirar o excesso de água. Reservei a água para usar depois.

Refoguei o alho em um pouco de azeite com uma colher de sopa de manteiga. Salpiquei pimenta do reino e um pouco de flor de sal, para fixar mais o sabor. Juntei o funghi hidratado e deixei refogar por um minuto. Acrescentei o arroz arbóreo e mexi, deixando refogar e fritar por um minuto. Coloquei o vinho branco e deixei secar.

Em fogo meio baixo, fui acrescentando aos poucos, a água reservada em que hidratei o funghi e o caldo de legumes, alternando entre um e outro e sempre mexendo, até o arroz ficar al dente. Desliguei o fogo e misturei a manteiga restante, o queijo parmesão e o creme de leite. Acertei o sal com a flor de sal e deixei descansar por cinco minutos antes de servir.

Um Vinho Alentejano para acompanhar.


Aqui fico
com palavras e povos e caminhos
que me esperam de novo, e que batem
com mãos consteladas em minha porta.

Pablo Neruda - Canto Geral





Comentários

Postagens mais visitadas