Broa de Fubá... ou, dos gerais

Mire veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isso: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas - mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam. Verdade maior. É o que a vida me ensinou. Isso que me alegra, montão.

Mire veja, é bem assim, como Guimarães Rosa conta no Grande Sertão.

Acho que essa é a primeira receita doce, ou o mais próximo disso, que publico.


 Para mim, algumas receitas têm a hora certa para serem feitas... coisas de combinação com o dia. Mas se chove, são outras horas diferentes de quando faz sol. Hora de broa, pão ou bolo, quando é dia azul, ou é pela manhã ou pelo fim de tarde... coisa de cheiro. Ahh... sempre os aromas! Quando o sol acorda, tem cheiro de pão quentinho no forno... ou quando ele se prepara para virar para o outro lado do mundo. Mas quando o dia é cinza... quando ficamos com nossos pensamentos em casa, recolhidos, vendo a água bater em nossa janela, é qualquer hora.


Separe duas xícaras de Leite, duas xícaras de Farinha de Trigo, duas xícaras de Fubá, duas xícaras de Açúcar, uma xícara de Manteiga derretida, quatro Ovos, duas pitadas de Sal, duas colheres de sobremesa de Fermento em PóQueijo Parmesão ralado para polvilhar.

É uma broa muito fácil de fazer e rápida. 

O gerais corre em volta. Esses gerais sāo sem tamanho... O sertão está em toda parte. (Guimarães Rosa)

Coloque no liquidificador o leite, a farinha de trigo, dois ovos e bata. Coloque o fubá e os outros dois ovos e bata. Coloque o açúcar, a manteiga, o sal e bata. Junte o fermento e bata. Uma vez acrescentei Alecrim à receita, ficou sublime.

Unte uma forma com manteiga e farinha e coloque a massa. Polvilhe com o queijo parmesão ralado e leve ao forno em temperatura de 200º. Quando estiver dourado, está pronto. Para ter certeza, espete um palito, se ele sair sequinho, está mesmo pronto.

E me inventei neste gosto, de espetacular ideia. (Guimarães Rosa)






Comentários

Postagens mais visitadas